Juventudes do MERCOSUL: Construindo um futuro melhor

12 ago

Juventudes do MERCOSUL: Construindo um futuro melhor

As juventudes, celebradas hoje com seu Dia Internacional, são atores fundamentais no processo de integração social e cidadã do MERCOSUL. São, além de cidadãos, também estudantes, consumidores, trabalhadores e beneficiários de uma série de políticas regionais. No futuro, se neste momento não, poderão trabalhar, viajar, residir ou criar negócios na região.

 

Essa população observa o outro lado das fronteiras com interesse e atenção, identificando benefícios e oportunidades concretas de trabalho, educação, saúde e turismo. É uma população chave para fortalecer a dimensão cidadã regional, além de transmitir e reforçar o espírito de integração.

 

A pandemia e as conjunturas nacionais e globais os afetam, em seu cotidiano, saúde mental e perspectivas futuras. Com foco especial nessa população e questões, o MERCOSUL conta com a Reunião Especializada de Juventude (REJ), além de iniciativas como o projeto “Juventude e Fronteiras no MERCOSUL”, do Instituto Social do MERCOSUL (ISM) e o Fundo de População da Nações Unidas (UNFPA).

 

Outras instâncias também discutem temas que impactam os jovens, como a Reunião de Ministros e Autoridades de Desenvolvimento Social (RMADS), a Comissão de Coordenação de Ministros da Área Social (CCMASM), a Reunião de Altas Autoridades de Direitos Humanos (RAADH), a Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia (RECyT), o MERCOSUL Cultural, o MERCOSUL Educacional, o MERCOSUL laboral, o MERCOSUL Saúde, entre outros.

 

Estratégias específicas também podem ser observadas a partir do Parlamento do MERCOSUL, com discussões entre parlamentares, propostas aprovadas e o Parlamento Jovem do MERCOSUL, e da Unidade de Comunicação e Informação do MERCOSUL (UCIM), com o fortalecimento da divulgação via redes sociais, campanhas e concurso fotográfico, promovendo a construção simbólica e reforçando o sentimento de pertencimento ao bloco. Além disso, os órgãos do MERCOSUL contam com visitas guiadas e virtuais, cursos e programas de estágio, ampliando as possibilidades de conhecimento e oportunidades de formação.


Recentemente, também, o Instituto de Políticas Públicas de Direitos Humanos apresentou a publicação “Livres, iguais e felizes: histórias de jovens do MERCOSUL para uma cultura sem violência contra a mulher”, composta por 30 histórias selecionadas, a partir de mandato da Comissão Permanente de Gênero e Direitos Humanos da Mulher da Reunião de Altas Autoridades em Direitos Humanos do MERCOSUL (RAADH). Ele pode ser acessado aqui.

 

Sobre os jovens da região

Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai apresentam indicadores próximos de população de jovens (entre 22 e 28%), com processos semelhantes quanto ao desenvolvimento populacional. O Uruguai é o país mais envelhecido e com a menor faixa etária de jovens da região (21,6%), enquanto Argentina e Brasil apresentam indicadores populacionais parecidos (23,5% e 23,2%, respectivamente), e o Paraguai é o país com maior faixa etária juvenil (28,5%). Entende-se, com base nesses dados, que a região possui uma vantagem competitiva significativa nesta década e nas próximas. Esse bônus demográfico, ou janela de oportunidade, existe, mas somente se essa população encontrar oportunidades de estudo, trabalho e condições para alcançar o desenvolvimento integral de suas vidas – do indivíduo ao local e à comunidade.

 

Reunião Especializada de Juventude

Principal instância de observação de questões juvenis no MERCOSUL, a Reunião Especializada de Juventude foi criada em 18 de julho de 2006, no âmbito da XXXI Reunião do Grupo Mercado Comum (GMC), por meio da Resolução GMC nº 39/06. A REJ concentra seus esforços no intercâmbio e assessoria técnica em temas como trabalho decente, educação, transporte público, produção e acesso à cultura, diversidade, meio ambiente sustentável, saúde e voluntariado.

 

Em reuniões recentes, o REJ vem coordenando campanhas, além de realizar a troca de informações sobre empreendedorismo, trabalho, capacitação em habilidades digitais, saúde, especialmente saúde mental por conta da covid-19, e educação. Mais informações em https://documentos.mercosur.int/public/reuniones/doc/9090 

 

“Juventude e Fronteiras no MERCOSUL”

Este projeto visa caracterizar as populações de adolescentes e jovens nas áreas fronteiriças do MERCOSUL, identificar os gastos sociais públicos com essas populações e construir, em conjunto com grupos juvenis e especialistas de fronteira, uma agenda política binacional específica para cada par de cidades gêmeas. Está em andamento um intenso processo de escuta e sistematização de dados sobre a juventude fronteiriça, cuja série final de análises será publicada este mês por ISM e UNFPA. Mais informações em www.ismercosur.org/juventudes .

 

Uma das publicações apresenta os antecedentes do tema no MERCOSUL e nos Estados Partes do MERCOSUL. Para mais informações, incluindo políticas de juventude em cada país, http://www.ismercosur.org/es/mercosur/  .