Bienvenidos/as al Portal del Instituto Social del Mercosur

A pesquisadora Gabriela Ferreira da Costa, estudante da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em trabalho reconhecido com o Prêmio MERCOSUL de Pesquisa em Políticas Sociais, apresentou que a cooperação em ciência e tecnologia, no âmbito do MERCOSUL, pode transformar a realidade social do Paraguai. Impactos positivos diretos, não estritamente em indicadores econômicos, poderiam ser em educação, inclusão produtiva, melhora de condições laborais e combate às desigualdades.

Na primeira parte da análise, Costa revisa dois estudos sobre cooperação internacional e sobre o papel da ciência e tecnologia para o desenvolvimento. Sobre cooperação explica que há diferentes tipos de cooperação que envolvem conhecimento: a cooperação científico-tecnológica, a cooperação técnica e a cooperação educacional. A cooperação técnica permite transferência de conhecimentos ou capacitação para a geração de conhecimento; a cooperação científico-tecnológica entende que há equivalência de conhecimentos prévios e há busca conjunta de inovações e novas soluções; já a cooperação educacional se ocupa da formação de recursos humanos por meio do intercambio estudantil e concessão de bolsas de estudos.

Depois, a pesquisadora observa que a construção de capacidade nacional é essencial para o desenvolvimento, e que a cooperação em ciência e tecnologia é importante para dinamizar cadeias produtivas. Ela lembra, entretanto, que não existe cooperação internacional “completamente desinteressada”. “Contudo, isso não põe fim à potencialidade dos ganhos de uma cooperação, apena cerceia o rol de oportunidades”, explica.

“Por outro lado, a persistência em desenvolver esse tipo de cooperação mesmo perante essa vicissitude é um grande sinal de construção de confiança e comprometimento com um projeto regional de desenvolvimento conjunto, pois cabe notar que a cooperação internacional em Ciência e Tecnologia é um instrumento da cooperação internacional para o desenvolvimento”, sinaliza em sua análise.

A pesquisadora passa, então, a apresentar o cenário encontrado no Paraguai, relativo a indicadores políticos, econômicos, sociais e ambientais. Discorre sobre a problemática do “emprego”, considerado um desafio no país.

CIT no MERCOSUL

Por fim, trata de experiências criadas no bloco no âmbito da ciência e tecnologia. Uma delas, a Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia do MERCOSUL (RECyT), instância sugerida logo na segunda Reunião do Conselho Mercado Comum (CMC), em 1992, e efetivada com a Resolução GMC 24/1992, na quinta reunião do Grupo Mercado Comum – GMC, de Buenos Aires. O objetivo desta criação seria a promoção do desenvolvimento científico e tecnológico dos Estados Partes e a modernização de suas economias, ampliando a oferta e qualidade dos bens e serviços, e assim contribuindo à melhoria das condições de vida dos habitantes do bloco. Depois, em 2005, foi criada a Reunião de Ministros e Altas Autoridades em Ciência, Tecnologia e Inovação (RMACTIM).

Segundo Costa, a RECyT conta com três comissões: a Comissão de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico, encarregada de realizar ações para a popularização da Ciência como o Prêmio MERCOSUL, entre outros; a Comissão Sociedade da Informação, que promove o intercâmbio de informações entre os Estados Parte para geração de estratégias integradas, com projetos como MERCOSUL Digital e outros; e a Comissão Plataforma BIOTECSUR.

Além disso, o MERCOSUL possui dois Programas-Quadro de Ciência e Tecnologia, um 2008-2012 e outro 2015-2019. O primeiro tem missão relacionada à geração, socialização e sensibilização do conhecimento científico e tecnológico. Está baseado em quatro eixos, de dimensão estratégica (temas como nanotecnologia, energia, saúde e outros); dimensão industrial e instituições de pesquisa e desenvolvimento (universidades); a dimensão social e ambiental (como foi chamada no segundo Programa); e dimensão relativa aos Sistemas Nacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI).

Complemento

Recentemente a RECyT e organismos nacionais de apoio à pesquisa lançaram as bases da edição 2018 do Prêmio MERCOSUL de Ciência e Tecnologia. As inscrições são até dia 31 de maio de 2019 e o tema é Indústria 4.0. A premiação total será de 25 mil dólares, além de troféus e placas.

Mais informação:

http://www.conacyt.gov.py/Premio-Mercosur-Ciencia-Tecnología-Edicion-2018

http://www.premiomercosul.cnpq.br/web/pmct


– O texto completo está aqui
– O texto não representa a opinião do Instituto Social do MERCOSUL


 





Copyrights © 2018 - Instituto Social del MERCOSUR - Av. Santa Teresa, 2763 c/ Denis Roa - Tel. +595 21 614909 - Asunción, Paraguay